FAP-DF VAI CAPACITAR TRABALHADORES E EMPRESAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL

02 set 2020

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) do Governo do Distrito Federal (GDF) vai criar projetos de capacitação profissional dirigidos ao trabalhador e às empresas do setor da construção. Essa ação foi anunciada pelo secretário Gilvan Máximo, durante reunião da diretoria da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI DF) e será realizada com recursos da Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAP-DF), em parceria com o SENAI-DF. “A FAP-DF vai atuar também junto ao setor produtivo”, afirmou Máximo, no encontro realizado na manhã da quarta-feira (02), pela internet.

O secretário propôs parceria com a ADEMI DF para discutir políticas públicas que fortaleçam o setor e fomentem a qualificação de sua mão de obra. Segundo Máximo, a fundação está desenvolvendo 20 projetos de fomento e tem 46 cursos aprovados, muitos dos quais voltados à formação e capacitação de jovens e profissionais em atividade nos mais diversos setores. Por intermédio da FAP-DF, a secretaria atua na absorção de novas tecnologias, com a introdução e ampliação da oferta de carros elétricos e oferta de wifi no transporte público.

“Essa é uma parceria muito importante para o mercado imobiliário e temos todo interesse em estabelecer esse diálogo”, comentou Eduardo Aroeira Almeida, presidente da ADEMI DF. Segundo ele, qualificar a mão de obra é uma ação estratégica para o desenvolvimento do setor, com relevante impacto social.

Para estimular avanços no setor da construção, Máximo aponta a capacitação profissional com ênfase na tecnologia como estratégia para fortalecer o segmento. Nesse campo, o SENAI-DF criou cursos como o de edificações e o de desenhista com ênfase no Building Information Modeling, o BIM (em português, Modelagem da Informação da Construção) – plataforma inovadora da tecnologia da informação aplicada à construção civil; entre outros.

“Essa é uma oportunidade que temos de acabar com aquela ideia de que o setor da construção é artesanal, de trazer a tecnologia para o maior número de profissionais do segmento”, disse o diretor de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra) e integrante da FAP-DF, Graciomário de Queiroz. Segundo ele, os cursos podem ser ministrados no canteiro de obras, no formato que melhor atenda o perfil de cada empresa.

A expectativa da secretaria é formar 45 mil pessoas em três anos, com recursos da ordem de R$ 90 milhões. “A FAP-DF tem uma dimensão social e também econômica, de contribuir para o desenvolvimento do DF”, disse o secretário. A Secti também planeja trabalhar com ações para estimular a produtividades das empresas.

Autor
Avatar

Imprensa Ademi-DF

Categorias

Parceiros