COVID-19 TRANSFORMA INTERNET EM FORÇA DE VENDA E VALORIZA PAPEL DO CORRETOR DE IMÓVEIS, DIZ SÓCIO DA BEIRAMAR

28 abr 2020

A pandemia pelo novo coronavírus transformou o processo de venda de imóveis: em tempos de distanciamento social, a internet ocupou o lugar dos estandes, mudou a postura do comprador e já impacta o papel do corretor de imóveis. Essa é a síntese das últimas seis semanas, em que a Covid-19 desembarcou no Brasil e sua prevenção vem quebrando paradigmas também no mercado imobiliário. A relação de imobiliárias e incorporadoras com o cliente está em transição para um novo formato, mas a pandemia não refreou o desejo de comprar um imóvel.

“Nós percebemos impacto nas vendas, mas tem demanda”, avalia Pedro Fernandes, sócio da Beiramar Imóveis, uma das maiores empresas do Distrito Federal. “Com pandemia ou sem pandemia, as pessoas precisam morar e essa é a nossa responsabilidade social, garantir o acesso à moradia”, afirma. Segundo ele, a digitalização do relacionamento com o cliente coloca o corretor de imóveis em um novo papel, mais focado na conclusão do negócio.

“O cliente, hoje, evita se expor. O corretor passa a atuar como um consultor de investimentos, focado no relacionamento e na segurança do comprador. É alguém que conhece o mercado, é especialista”, conta Fernandes. Convidado do ADEMI DF Debate: a Covid-19 e as vendas on-line, o executivo compartilhou experiências e fez uma leitura otimista para o mercado imobiliário. Mediada pelo presidente da entidade, Eduardo Aroeira Almeida, a conversa foi transmitida pelo Instagram da ADEMI DF na tarde de segunda-feira (27) e contou com a participação de mais de 130 pessoas.

“Nosso grande desafio é trabalhar com segurança. Reforçamos o cuidado com os nossos trabalhadores e clientes, isso é que manterá o setor funcionando”, afirma Eduardo Aroeira Almeida. Para ele, a autorização para a reabertura das imobiliárias terá impacto positivo sobre o setor. “A imobiliária é parte muito importante do nosso mercado”.

Novos paradigmas – Com grande experiência nos segmentos de locação, vendas e incorporação, a Beiramar Imóveis havia suspendido suas atividades em 20/03, atendendo a determinação do Governo do Distrito Federal (GDF). Nesse período, a empresa ajustou seus procedimentos internos e manteve a equipe trabalhando à distância e reforçou seus mecanismos e presença digital. “Nós fizemos um plano de ação tanto para o distanciamento social quanto para a retomada, já pensando no passo seguinte”, conta Pedro Fernandes.

A Beiramar Imóveis formou um comitê de crise. Os estandes foram reabertos, com agendamento para os clientes que desejarem: um por vez, em horários escalonados. Os funcionários da empresa usam propés (proteção descartável para os calçados) e máscaras, artefato de proteção oferecido também aos clientes. E o atendimento virtual foi ampliado. “Estamos usando aplicativo e visitas virtuais”, diz o executivo.

Na avaliação de Fernandes, a postura do comprador mudou: ela relata que, agora, o cliente reúne o máximo de informação sobre o imóvel antes de marcar uma visita. “Hoje vem quem realmente quer comprar. A conversão de visitas em vendas cresceu bastante”, diz o executivo. As mudanças impostas pela Covid-19, especialmente a necessidade de distanciamento social, avalia, mudou a percepção em torno da importância da moradia e terá impacto nos projetos.

“Nunca foi tão importante o lugar em que a gente mora”, alerta. Para ele, demandas como espaços adequados para o trabalho à distância, brinquedotecas e lazer passam a fazer parte de um novo olhar para o empreendedor na hora de desenhar seus empreendimentos. Fernandes aposta em uma demanda maior por imóveis com mais área de lazer como varandas, terraços e cobertura linear; assim como no interesse por casas e imóveis em condomínios fechados. “A tendência pelo compartilhamento de espaços deve continuar, mas agora com novas premissas”.

Lançamento virtual – Em pouco mais de 40 dias de pandemia, ele avalia que o mercado começa a recuperar o desempenho pré-crise sanitária. Se na primeira semana de pandemia a chegada de novos clientes caiu 40% e as visitas 62%, o resultado da Beiramar Imóveis na semana passada indica que o comprador de imóveis está voltando: a quinta semana de pandemia registrou aumento de 7% sobre novos clientes e o volume de visitas estabilizou em 80% do nível pré-crise.

Segundo ele, a Beiramar Imóveis havia planejado lançar 10 novos empreendimentos em 2020 e pode rever o volume, mas não a decisão: dois empreendimentos devem ser lançados até junho e ao outros dois sairão no segundo semestre. “Estamos planejando lançar em outro formato, mais digital, sem aglomeração”, avisa.

Presidente da ADEMI DF, Eduardo Aroeira Almeida concorda que o formato dos lançamentos terá de ser revisto para contemplar os cuidados de prevenção ao novo coronavírus. Para ele, ainda é prematuro avaliar o impacto da pandemia sobre o mercado imobiliário. “Vamos acompanhar 2020 passo a passo. Nosso setor não passará incólume pela crise, mas o fato de termos permanecido funcionando, as taxas de juros mais baixas e outras evidências colocam o imóvel como uma excelente opção de investimento”.

Autor
Avatar

Imprensa Ademi-DF

Categorias

Parceiros