COVID-19: PRESIDENTE DO BRB APRESENTA PROJETO E SETOR DA CONSTRUÇÃO ARTICULA DOAÇÃO PARA NOVO HOSPITAL

24 mar 2021

“Estamos vivendo uma guerra”, sintetizou o presidente do Banco de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa a empresários do mercado imobiliário na manhã dessa quarta-feira (24), quando apresentou o projeto Todos contra a Covid, com o que o Governo do Distrito Federal (GDF) planeja construir três novos hospitais com recursos privados para ampliar o atendimento aos pacientes infectados pelo novo coronavírus. Durante reunião de diretoria virtual da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI DF), o executivo destacou que a iniciativa vai ampliar a oferta de leitos, com 300 novas posições, em curto espaço de tempo.

“Diferente dos hospitais de campanha, esses são hospitais permanentes, uma extensão de equipamentos hospitalares já existentes”, informou. “Nosso propósito é construir um legado para a população do DF. Esses hospitais atenderão pacientes da Covid-19 e, depois, continuarão atendendo a população”. O presidente do BRB lidera o projeto, que prevê a construção de 3 hospitais, com 100 leitos cada – incluídas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs); nas cidades de Samambaia, Planaltina e Paranoá.

O setor da construção está articulando doação conjunta para o projeto. “Nós estamos conversando com todas as empresas e tivemos uma recepção muito boa entre os empresários”, sinalizou o presidente da ADEMI DF, Eduardo Aroeira Almeida. “O momento é grave e estamos conscientes disso. Essa é uma iniciativa importante, pois beneficia toda a população do DF”. Ele destacou a parceria com o Sinduscon-DF e a Asbraco na busca por contribuições.

O primeiro hospital custará R$ 14,5 milhões. O BRB, informou Costa, doará R$ 3 milhões. A ácão será realizada por intermédio do Instituto BRB e, até o momento, foram arrecadados R$ 11 milhões. O edital para construção da primeira unidade foi publicado nesta segunda-feira (22) e a expectativa é que as obras tenham início na próxima segunda-feira, 29 de março.

Para isso, será contratada a Brasil ao Cubo, construtech que atua em 14 Estados brasileiros, responsável pela construção do Hospital Regional de Ceilândia. Com 73 leitos, a unidade hospitalar foi entregue em 34 dias. “Temos uma corrida contra o tempo. Cada dia é importante pra avançarmos e criar as condições para atender a população”, frisou o presidente do BRB.

Para o presidente da ADEMI DF, o fato de ser um hospital permanente e a expectativa por um potencial agravamento da crise sensibiliza os empresários do setor. Aroeira avalia que a iniciativa é um passo coerente com o esforço que incorporadoras e construtoras têm feito desde o início da pandemia, quando fortaleceram seus protocolos de segurança e saúde do trabalhador com as medidas de prevenção à Covid-19. “Nosso setor foi declarado essencial pelo GDF e mantivemos nossas atividades, assumindo o risco. Mas focamos na proteção e saúde dos nossos trabalhadores, garantindo proteção permanente e temos atravessado esse período com baixo contágio nos canteiros”.

Entre outras medidas, as empresas do setor tornaram obrigatório o uso de máscara e as distribuíram para seus colaboradores. Também foram revistos os turnos de trabalho e reorganizados os espaços para evitar aglomerações e reduzir a exposição das equipes no transporte público.

Autor
Avatar

Imprensa Ademi-DF

Categorias

Parceiros