IVV DE MARÇO SINALIZA QUE IMPACTOS DA PANDEMIA NO MERCADO IMOBILIÁRIO PODEM TER FICADO PARA O SEGUNDO TRIMESTRE

20 Maio 2020

O mercado imobiliário do Distrito Federal manteve-se estável no mês de março, fechando o primeiro trimestre de 2020 com resultado positivo. Resultados do Índice de Velocidade de Vendas (IVV) indicam que apesar da eclosão da pandemia pelo novo coronavírus, a partir da segunda quinzena do mês, a comercialização de imóveis novos ficou acima da média desejável, com índice de 6,6%. A expectativa de incorporadores e construtores é que os possíveis efeitos da crise sanitária, que levou ao distanciamento social e fechamento dos estandes de venda, tenham sido registrados no mês de abril.

“Março foi o primeiro mês da crise sanitária e os dados mostram que o mercado mantinha tendência de crescimento”, avalia Eduardo Aroeira Almeida, presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI DF). “Ainda assim, o IVV ficou acima da média. É possível que tenhamos registrado menos vendas no mês de abril, em virtude do isolamento social e da incerteza”, acrescenta, destacando que uma velocidade de vendas de 5% indica um desempenho positivo do mercado.

“Foi animador observar que em março, já com a crise causada pela pandemia instalada na metade do mês, obtivemos um resultado quase tão bom quanto no mês anterior”, afirma Adalberto Valadão Junior, vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF). “Provavelmente teremos um reflexo mais forte em abril, mas estamos otimistas quanto à manutenção de vendas, ainda que em menor volume, durante a crise”, completou.

Segundo a pesquisa, em março foram lançados dois novos empreendimentos no Distrito Federal, com um total de 222 novas unidades residenciais, nas regiões administrativas do Noroeste e ParkSul. A oferta no segmento residencial acumulou 2.839 unidades, com crescimento de 1,3% em relação a fevereiro; e foram comercializadas 188 unidades, com retração de 0,5% no mesmo período. Santa Maria (31,4%), Noroeste (23,9%) e Planaltina (18,1%) foram as regiões com maior volume de vendas no período.

Reação – O IVV acompanha o desempenho do mercado imobiliário do Distrito Federal. Iniciativa da Ademi-DF em parceria com o Sinduscon-DF e com o apoio do SEBRAE-DF, a pesquisa é realizada pela Opinião Informação Estratégica.  A coleta de dados é mensal, junto às construtoras e incorporadoras mais representativas do mercado. 

Incorporadores e construtores estão otimistas com o potencial de recuperação do mercado a partir do segundo semestre. Monitoramento realizado pela ADEMI DF indica que ao menos 50% de seus associados mantêm os lançamentos planejados para 2020 e outros 20% avaliam o melhor momento para colocar novos empreendimentos no mercado. “Passado o impacto inicial, nossas empresas estão se preparando para uma retomada”, diz Eduardo Aroeira.

“Também acreditamos numa rápida recuperação pós pandemia devido ao cenário econômico, em que teremos as mais baixas taxas de juros da história do país e onde a segurança do investimento em imóveis vai ser levada em consideração como nunca”, endossa Valadão Junior.

Autor
Avatar

Imprensa Ademi-DF

Categorias

Parceiros