SETOR DA CONSTRUÇÃO PROPÕE A CRIAÇÃO DE NOVO PROGRAMA HABITACIONAL

17 jan 2020
Foto: Adalberto Marques / MDR

A criação de um novo programa habitacional de interesse social, destinado à população de mais baixa renda, foi tema de audiência do setor da construção com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. Iniciativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), a proposta é apresentar uma alternativa cuja execução não dependa de recursos do Orçamento da União (OGU). A redução da capacidade de investimento do governo federal tem impactado a oferta de opções para esse público, diminuindo a oportunidade de acesso à moradia digna. “A população mais carente precisa de subsídio para financiar o imóvel e tem sido prejudicada pela redução dos recursos. Estamos discutindo uma forma de continuar atendendo esse público”, diz o presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI-DF), Eduardo Aroeira Almeida, que participou da reunião.

O governo federal trabalha em um novo programa para a população de baixa renda, com salários até R$ 1.200 mensais, em municípios com até 50 mil habitantes. O projeto introduz um sistema de voucher, cujos recursos serão liberados para compra, construção ou reforma da casa própria. “A CBIC tem estudado esse assunto e levamos sugestões com alternativas ao voucher”, comenta o presidente da ADEMI-DF.

No encontro com o ministro, os empresários também defenderam maior previsibilidade nos desembolsos da Faixa 1 do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), que acumulou atrasos em 2019. Para o presidente da ADEMI-DF, a conversa serviu para reforçar o papel da segurança jurídica para o setor que é um dos principais geradores de emprego, renda e desenvolvimento no país. “Temos que olhar para o futuro e dar previsibilidade para nossas empresas. Eu acho que essa é a principal mensagem que levamos ao ministro”, diz Aroeira.

(Com Agência CBIC)

 

Autor
Avatar

usuarioademi

Categorias

Parceiros